Pensamentos aleatórios

27 de junho de 2016

Cobertura tendenciosa? Três manchetes de veículos de comunicação da capital sobre a agressão ao Cláudio Lima


Hoje em dia é difícil saber se um veículo de comunicação é sério apenas pelas suas manchetes, pois a necessidade de um título ser impactante para chamar a atenção do leitor é muito maior do que a própria objetividade que a notícia deveria ter.

Mas pelas manchetes dá para saber se um determinado veículo é ou não tendencioso, podendo essa tendência ser comprada e não uma política editorial como foi a cobertura da Globo e da Folha de São Paulo sobre o Impeachment da Dilma: totalmente tendenciosa, mas não comprada, pois os dois veículos são abertamente anti-petistas e nem precisava pagar para serem a favor da saída da presidente.

Aqui em Goiás não é diferente. E para exemplificar vou reproduzir a machetes de três veículos de comunicação da capital que noticiaram a agressão ao radialista Cláudio Lima ocorrido na semana passada em Catalão e, ao final, poderemos ver a tendência de cada um dos veículos:

Diário de Goiás - Radialista agredido em Catalão
O radialista Cláudio Silva Lima, de 44 anos, foi agredido na noite de ontem (20), na rua Portugal Porto Guimarães, em Catalão, quando participava de uma reunião dos pré-candidatos a vereadores do PMDB no município;


O Popular - Radialista é espancado após sair de reunião política em Catalão
Cláudio Lima foi encaminhado pelo Corpo de Bombeiros até a Unidade Pronto Atendimento e seu estado de saúde, segundo a unidade de saúde, é bom

Jornal Opção - Adversários de Jardel Sebba aprovam atendimento da UPA
Agredido não se sabe por quem, o radialista e pré-candidato a vereador Claudio Lima, ligado a Adib Elias, elogiou a UPA construída pelo prefeito Jardel Sebba.

E aí? Pelas manchetes dá ou não para saber qual dos três veículos noticiou o fato de forma tendenciosa e comprada?

Compartilhe:

DiriGa, recoNtrução e paPe... tá faltando gente que saiba ler e escrever na gestão que se orgulha do IDEB

Três bons exemplos da falta que faz alguém que saiba ler e escrever fora do Facebook:


Essa última deve ser uma homenagem ao Jorge Dória:


Ou propaganda do Restaurante Popular:


Certamente vão dizer que as viúvas levaram a perninha do erre...

Compartilhe:

24 de junho de 2016

Hoje é a inauguração da restauração do Morro da Saudade e todo mundo está convidado... menos os ateus, que não merecem respeito

Assistam ao vídeo abaixo antes de ler o post (são só 10 segundos de áudio, não demora nada):


Concordo! Ateus são seres maléficos que merecem nosso repúdio.

Os ateus, por não acreditarem em Céu ou Inferno, usam a moralidade (ou imoralidade) para tomar suas decisões, sem a necessidade de uma repressão espiritual.

Os ateus, por não professarem crença em uma força superior, são tão responsáveis pelos atentados de 11 de setembro quanto os terroristas radicais da Al-Qaeda, ou quanto os Nazistas que massacraram os Judeus na Segunda Guerra Mundial, ou mesmo os Cristãos que torturaram e queimaram vários hereges nas fogueiras da Santa Inquisição, na Idade Média.

Os ateus, também por não esperarem intervenção divina, são culpados pelo fortalecimento dos vírus da gripe e outras doenças, pois foi desenvolvimento de medicamentos e técnicas médicas usadas para salvar mais e mais vidas (e almas) é que provocou o surgimento de novas doenças, bem como o desenvolvimento de novas tecnologias de informação e comunicação aproximaram os homens uns dos outros, mas o distanciaram dos líderes religiosos que só pensam no bem de seu rebanho.

E, por não merecerem respeito, os seguintes ateus, e todas as suas realizações ateístas maléficas, devem ser excluídos da sociedade: Drauzio Varela, Oscar Niemeyer, John Lennon, James Cameron, Milton Santos, Ricardo Boechat, Arnaldo Jabor, Angelina Jolie, Brad Pitt, Antônio Fagundes, Jorge Amado, Chico Buarque, Herbert de Sousa (Betinho), Ben Carson, Peter Higgs, e o maior de todos os ateus, Bill Gates.

Afinal, como é que alguém que não acredita nem em Cristo vai louvar o nosso Jardeus?!


Compartilhe:

Sabe o que foi inaugurado ontem? O Credeq, em Aparecida de Goiânia, onde o prefeito é... do PMDB!!!


Foi inaugurado ontem, em Aparecida de Goiânia, o primeiro Credeq (Centro de Referência e Excelência em Dependência Química). Pioneiro no País, o projeto visa o atendimento gratuito às vítimas do consumo de álcool, do crack e de outras drogas, portanto, é considerado uma boa iniciativa.

Ao todo, a unidade oferecerá 96 vagas e foi edificada ao custo de R$ 26,6 milhões, com custeio mensal de R$ 602 mil. Os recursos são oriundos do tesouro estadual, a Prefeitura só entrou com o lote. 

E sabe o que é mais interessante nessa situação toda? O prefeito de Aparecida de Goiânia é o Maguito Vilela... do PMDB!!! 

Mas se o apreço do Governo de Goiás com a cidade gerida pelo PMDB ficasse só no Credeq estaria de bom tamanho... só este ano, por intervenção direta de Marconi, Aparecida de Goiânia vai receber a Data Vision, empresa tecnológica fabricante de equipamentos para sinalização e alarme, com investimentos de 52 milhões de reais e serão responsáveis pela criação de 160 empregos, entre diretos e indiretos.

Catalão nos últimos três anos e meio não recebeu nenhuma nova empresa por intermédio do Governo de Goiás, diferente de Jataí, Aparecida de Goiânia e Anápolis, que tem prefeitos adversários do governador (Humberto Machado, PMDB; Maguito Vilela, PMDB; João Gomes, PT; respectivamente), mas receberam grandes investimentos privados graças a intervenção de Marconi, gerando emprego e renda nessas cidades, enquanto Catalão viu se extinguirem 1500 postos de trabalho de uma única empresa sem nenhuma ação concreta da parceria para diminuir o impacto negativo dessas demissões.

Ou seja, qual a vantagem de ter um prefeito parceiro do governo se um prefeito do PMDB tem muito mais moral com o Marconi do que o compadre Jardel, que é do PSDB e periga até quebrar os dentes se alguém chutar o saco do governador. 

Seria um sinal?

Compartilhe:

Morro da Saudade e Igreja de São João em três épocas


Como hoje é dia de São João e será inaugurada uma nova restauração da igreja no Morro da Saudade, convém lembrar as outras vezes em que houve uma intervenção como essa no local.

A primeira foi em 2004, no primeiro mandato de Adib Elias, após cerca de 54 anos sem uma reforma completa, que a Prefeitura, em parceria com a Mineração Catalão, investiu 350 mil reais e fez uma completa revitalização do local. Nessa ocasião o Morrinho ganhou estacionamento pavimentado, ajardinamento e bancos. A igreja foi restaurada, respeitando as características artísticas e históricas originais e o interior da capela foi decorado com pinturas de santos e anjos. A partir daí o Morro da Saudade se tornou definitivamente um cartão postal de Catalão, o local passou a ser frequentado por casais de namorados e visitantes em geral. Antes dessa revitalização muitos queriam colocar a escultura de um Cristo Redentor ali, mas a igreja foi iluminada por potentes refletores, podendo ser visualizada de todos os pontos de Catalão, o que acabou com essa ideia, pois o local ganhou identidade e brilho próprios, especialmente no Natal.


A partir daí a Prefeitura nunca mais deixou de investir na conservação do morro

A segunda vez que houve um investimento maior foi em 2010, na gestão Velomar, em  que o prefeito colocou cerca de 100 mil reais na melhora da iluminação, reforma da pintura externa e restauração completa das pinturas de santos e anjos dentro da igreja. Nessa época aumentou muito a frequência de visitantes ao local e a igreja voltou a ser usada para casamentos e outras celebrações.


Mas aí, em 2013, essa regra mudou e o cartão postal foi abandonado.

Somente agora, em 2016, depois de um período de descaso de três anos e meio, o Morro da Saudade recebe atenção da gestão municipal. O investimento é de 200 mil reais oriundos de uma "outorga onerosa" paga pela empresa IGEO. A promessa é uma restauração completa do local, inclusive da igreja e respeitando as características históricas da construção. Tomara que fique bem feito, a ponto de apagar da memória o estado degradante, e tão diferente, que o local ostentou nos últimos anos.


Um detalhe interessante: nas duas restaurações anteriores a igreja recebeu as cores brancas e azuis, agora as cores são branca e amarela... seria um sinal? 

Compartilhe:

A impressionante velocidade de reação da gestão Jardel (3): Restauração do Morrinho de São João


Eu já escrevi antes e repito de novo: eu realmente me impressiono com a velocidade de reação que a gestão Jardel tem para atender os anseios da comunidade catalana.

Minha última estupefação se deu com o anúncio da inauguração, logo mais a noite, da restauração do Morrinho de São João, que demorou apenas três anos para acontecer desde a assinatura de um Termo de Compromisso e Ajuste de Conduta com o Ministério Público (íntegra aqui), em 15 de julho de 2013, que previa, entre outras coisas, que essa restauração ocorresse no prazo máximo de um ano, ou seja, até 15 de julho de 2014. Mas essa pequena dilatação no prazo acordado não foi nada não, a população certamente nem notou que o principal cartão postal da cidade ficou três anos e meio na escuridão, sofrendo com o descaso e abandono, servindo de abrigo para usuários de drogas, esconderijo de marginais e local para despachos de macumba.

Mas é perfeitamente compreensível, afinal seria querer muito de uma gestão que precisou usar da famosa "outorga onerosa" com a empresa IGEO, no valor de 200 mil reais, para restaurar o morrinho, já que não há dinheiro nos cofres públicos para esse tipo de obra (só pra asfalto e cheque moradia).

Torçamos para que essa restauração provoque um melhora na autoestima dos catalanos, que desde 2013 está igual à Igreja de São João antes dessa reforma: apagada, suja, depredada e caindo aos pedaços!!!

Compartilhe:

23 de junho de 2016

Júlio Paschoal comenta o caso Cláudio Lima e revela que já foi vítima de ameaças de aliado de Jardel

O economista Júlio Paschoal usou o Facebook para comentar a agressão sofrida pelo radialista Cláudio Lima e revelou que já foi vítima de ameaça aqui em Catalão e, por isso, resolveu se mudar definitivamente para Goiânia após as eleições de 2012:


Para quem não sabe, Júlio Paschoal ocupa o cargo de Superintendente de Gestão, Planejamento e Finanças, na Secretaria Estadual de Cidadania do Governo de Goiás, um importante cargo de confiança. Ele vem se destacando também como um dos homens de confiança do deputado federal Giuseppe Vecci (PSDB), pré-candidato a prefeito de Goiânia e um dos mais firmes aliados de Marconi Perillo, ou seja, não é um tucaninho de pouca pluma não e muito menos viúva do PMDB.

Será que as declarações de Júlio têm credibilidade ou ele também é um ser humano que não merece consideração?

Certamente vão dizer que ele é ateu ou tem rolo com mulher casada...

Compartilhe:

O cara que lê de tudo

Ler vários livros ao mesmo tempo não é para qualquer um:


Compartilhe:

O ataque ao Cláudio Lima não pode ser politizado, mas isso tem que valer para os dois lados

Acabei de assistir ao pronunciamento do deputado Gustavo Sebba, em que ele repudia de forma veemente o ataque ao radialista Cláudio Lima, inclusive cobrando de forma pública a apuração dos fatos. 

Recomendo que assistam. Foi um pronunciamento coerente e lúcido, mostrando a maturidade e o preparo do jovem deputado para usar a tribuna. Ao final Gustavo criticou o fato de algumas pessoas quererem tirar proveito político do incidente sem sequer aguardar a apuração dos fatos ou se preocupar com a recuperação do agredido. Essa posição do deputado também é coerente e merece louvor, mas tem que valer para os dois lados hegemônicos da política local e não só para a oposição, pois o que se viu na noite de segunda e no dia seguinte foi um show de desinformação, de tentativa de desqualificar a agressão e de transformar o agredido em vilão, tudo protagonizado por pessoas ligadas a atual gestão municipal.

Mal começaram a circular as imagens do Cláudio, todo machucado e ensanguentado, no WhatsApp e o primeiro blog a noticiar o ocorrido foi o Diante do Fato, com conhecida ligação ao prefeito Jardel, que soltou a seguinte matéria:


"Afirmou ter sido agredido"? "Versão do radialista"? "A agressão NÃO tem ligação com política"? Esse tipo de cobertura não é nada além de uma forma de politizar o fato: as afirmações levantam suspeição sobre o agredido, numa clara tentativa de desacreditá-lo; não havia como saber o motivo da agressão, se política ou não, mas mesmo assim o blogueiro fez um juízo do fato; diz a matéria que o radialista não sofreu nenhum ferimento grave, mas mesmo assim foi transferido para outra unidade de saúde, por quê?

Mas isso é pouco. No WhatsApp os comentários eram absurdos e no dia seguinte as barbaridades começaram pra valer com o maciço compartilhamento de banners no Facebook, induzindo o internauta a crer que a agressão ao radialista seria um factoide dele mesmo com o intuito de criar simpatia no eleitorado:
 


Se isso não é querer tirar proveito político da situação não sei o que poderia ser, mas não receberam nenhum crítica ou nota de repúdio, nem do deputado Gustavo ou do prefeito Jardel.

O fato é que uma pessoa foi brutal e covardemente agredida, e isso ninguém discute mais. O que não podemos admitir é que os discursos de repúdio sejam somente discursos e não ações efetivas para inibir a propagação da violência. Catalão não pode voltar a ser a cidade violenta do final do Século XIX e início do Século XX, em que os partidos Papo-Roxo e Papo-Amarelo (que recebiam a alcunha de acordo com a cor das coronhas das carabinas que usavam),  se revezavam no poder através da barganha dos votos, da intimidação dos eleitores e da violência.

Que esse episódio com o Cláudio sirva para que os líderes políticos acalmem os ânimos de seus comandados e possamos ter um verdadeiro debate de ideias e não de mentiras, acusações, difamações e agressões que vêm se tornando frequente nos últimos anos. O contrário disso é muito ruim e estaremos fadados a testemunhar mortes na política este ano e isso é que não pode passar de forma alguma.

Compartilhe: