Pensamentos aleatórios

22 de setembro de 2014

Olha a lição da escola tucana de Governo...

Matéria de O Popular, especialmente para aqueles que perguntam de onde nosso prefeito tira ideia de ficar fazendo empréstimos milionários:


É a escola, ora. Não dá para ser diferente!!!

Aí perguntam-se os goianos: 7 bilhões de empréstimos para obras de infraestrutura... e faz o que com a arrecadação?!

Resposta: PROPAGANDA!!!

Compartilhe:

Por que o ódio ao PT?*

 
O ódio ao PT e aos petistas em geral é um eixo importante sobre o qual também gira a campanha presidencial de 2014.

Esse sentimento antigo, manifestado abertamente por adversários de influência forte no eleitorado de oposição, permanece em estado latente e se manifesta mais claramente nas “guerras” presidenciais. Em tempos de “paz” é cochichado pelos cantos do Congresso e, igualmente, em reuniões sociais onde não há preocupação em expor preconceitos.

Nesses salões mais elegantes, os petistas são tratados de corja.

Recentemente, o asco jorrou surpreendentemente da boca do senador Aécio Neves, um mineiro até então pacato com os adversários políticos. A competição acirrada fez o candidato a presidente pelos tucanos sair dos seus cuidados.

“Sei que não vou ganhar. Minha luta é contra o continuísmo dessa gente. É contra isso que vou lutar”, confidenciou a Jorge Bastos Moreno, de O Globo. Isso, ainda no início de campanha, revelou o jornalista.

Reação incomum a do mineiro Aécio Neves, neto de Tancredo.

A tradicional cordialidade na sociedade mineira, por exemplo, aproximou o tucano Aécio do petista Fernando Pimentel. Em 2008, firmaram a aliança, com resistências no PT, para eleger o prefeito de Belo Horizonte. Acordo repudiado pelos petistas mineiros.
Na política, excetuadas as exceções, os adversários não são tratados como inimigos. Sabem que amanhã será outro dia e poderão estar no mesmo palanque.

O ódio embutido na frase de Aécio Neves tem explicação e antecedentes. Alguns bem mais explosivos e de maior violência verbal.
Em 2006, o senador Jorge Bornhausen (PFL-DEM) lançou uma provocação violenta contra a reeleição de Lula: “Vamos acabar com essa raça. Vamos nos livrar dessa raça por, pelo menos, 30 anos”. Falhou na previsão, como se sabe. Essas são algumas das raízes que fazem o ódio aflorar no processo eleitoral deste ano de forma mais transparente. O sentimento espalhou-se por uma parte considerável do eleitorado. De alto a baixo.

Para derrotar Dilma, um grande contingente de eleitores tucanos trocou de camisa. Optou por Marina. Aécio em poucos dias foi desidratado. Ele chegou a ter 23% das intenções de voto. Mas empacou. Dilma aproximou-se muito da possibilidade de vencer no primeiro turno. Aproximadamente, 30% dos eleitores formavam o grupo dos indecisos ou mostravam a intenção de votar em branco ou nulo.

O imprevisto jogou Marina na disputa. Ela rapidamente superou Aécio, que caiu para 15% das intenções de voto. Voltou a subir a 19% segundo o Ibope.

Trocar Aécio por Marina não é, efetivamente, resultado político adequado pelos critérios políticos mais tradicionais. A troca de candidato, no entanto, é fruto do medo de uma nova vitória do PT, cujo compromisso social assusta parte da sociedade com dificuldade de conviver com pobres.

Essa porção de privilegiados assusta-se com um pouco mais de igualdade. Da fonte do medo também brota o ódio.
 
*Por Maurício Dias, no site da Carta Capital 
 
Compartilhe:

Olha o Ideb subindo...


Compartilhe:

19 de setembro de 2014

A pesquisa Datafolha em uma imagem

Foi divulgada, nesta sexta-feira, a nova pesquisa Datafolha. 

Nela, a presidente Dilma Rousseff, do PT, abre vantagem sobre Marina Silva no primeiro turno, com 37% das intenções de voto, seguida da candidata do PSB, com 30%. O presidenciável do PSDB, Aécio Neves, também esboçou reação e subiu para 17%.

Segue a representação da pesquisa, destacando a reação de Aécio:


Compartilhe:

Enquanto isso, em Catalão...

A água insiste em não sair das torneiras.


Compartilhe:

18 de setembro de 2014

Aécio pergunta Luciana Genro responde... e acaba com ele!!!

Está bombando no Youtube:


Compartilhe:

Festejando o sucesso no IDEB em Goiás

Compartilho logo abaixo o desabafo do amigo Gabriel de Melo Neto, professor efetivo da rede estadual de ensino, feito hoje em seu perfil no Facebook, sobre uma determinação da Secretaria Estadual de Educação para que as escolas comemorem hoje (18/09) o "sucesso" de Goiás no Indice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), em que nosso estado saiu na quinta colocação e está primeiro lugar entre as Unidades Federativas do Brasil.
 
O detalhe é que o índice (cujos defeitos na metodologia não o tornam confiável para avaliar a qualidade da Educação) não subiu expressivamente, o que ocorreu é que Goiás foi beneficiado com a queda dos quatro primeiros colocados, mas isso o "Melhor Governo da Vida dos Goianos" esquece de mencionar.
 
Segue o desabafo de Gabriel:
Car@s amig@s, no dia de hoje por determinação da Secretaria Estadual de Educação, as escolas estaduais estão "Festejando o sucesso no IDEB" em Goiás. Deixo claro aos/às meus/minhas alunos/as, aos seus familiares e para a sociedade em geral que eu como Professor NÃO tenho nada para comemorar.

Trabalho na educação há mais de uma década e quando vejo o Governo Estadual e os seus simpatizantes afirmando que a educação está melhor atualmente, fico indignado e extremamente preocupado com a quantidade de pessoas que acreditam nisso.

Tenho clareza que não é necessário gastar muita saliva para demonstrar os graves problemas da Educação. Basta passar algumas horas dentro de uma escola que qualquer pessoa honesta é capaz de chegar em tal conclusão. Afinal, o que estão comemorando:

a) Os números fantasiosos de um IDEB construídos a custa da violação da autonomia de professores/as que são obrigados a darem notas e aprovarem alunos sem qualquer critério, apenas para melhorar os índices de baixas notas e reprovação?

b) As salas de aula superlotadas, sem conforto térmico que muitos de forma correta chamam de "sauna de aula", e quando chove temos verdadeiras “cachoeiras”?

c) As matrículas que são canceladas ou as "transferências compulsórias" quando o aluno não frequenta aulas para maquiar a verdadeira evasão escolar?

d) Os direitos trabalhistas retirados de forma violenta, como o caso da Titularidade, com perdas salariais que ultrapassam R$ 30 mil por professor/a em 3 anos?

e) A escola que mais parece uma Fábrica mergulhada na burocracia, cheia de relatórios, fichas, planilhas, metas, prazos... determinado de forma absolutista por pessoas que não conhecem a realidade da educação, pois muitas não entram em uma sala de aula para lecionar há vários anos ou nem professor são como é o caso do ex-secretário ECONOMISTA?

f) As perseguições contra os professores e servidores que questionam os desmandos ou simplesmente externam as suas opiniões?

Como professor, pela formação humana, democrática e respeitosa que recebi de muitos professores/as que tive ao longo da minha vida, me sinto na obrigação de falar a verdade e trabalhar por uma sociedade justa, defendendo o direito dos meus alunos e de suas famílias terem um futuro melhor através de uma Educação com Qualidade. 
 

Compartilhe:

As eleições e suas poluições


Compartilhe:

16 de setembro de 2014

Olha o Aécio indo...

Pesquisa Vox Populi, encomendada pela Rede Record, mostra a candidata Dilma Rousseff (PT) na liderança com 36% das intenções de voto para presidente da República. A candidata pelo PSB, Marina Silva, aparece com 27% das intenções e Aécio Neves (PSDB) com 15%. Na última pesquisa Vox Populi, Marina tinha 28% das intenções de voto. Os outros dois candidatos mantiveram as mesmas porcentagens.

Segue o gráfico da pesquisa:


Compartilhe:

10 de setembro de 2014

Quem é mesmo que elege os deputados estaduais?

É o povo, através do voto, quem escolhe seus representantes no Legislativo, seja municipal (vereador, estadual (deputados estaduais) ou federal (deputados federais e senadores) e isso todo mundo está cansado de saber e não se discute. 

No entanto, pela insistência de certos veículos de comunicação em noticiarem que alguns candidatos já estariam entre os eleitos, serão puxadores de votos e vão humilhar os adversários, o eleitor pode até pensar que tais veículos tem uma bola de cristal ou qualquer outro meio de previsão futurística, tamanha a repetição da mesma informação todo dia e toda hora.

Ou é isso, ou é desespero disfarçado de "informação de especialistas" para enganar o eleitorado.


Dá o que pensar mesmo...

Compartilhe: