Pensamentos aleatórios

2 de março de 2015

O dia em que o estupro virou uma coisa banal e o povo bateu palmas


"Quero te dar um pega. Ela não falou nada, aí eu falei VOU PEGAR. Botei a mãe de santo de quatro, arriei a saia da mãe de santo e segurei ela pela nuca [...]. Tô sapecando a mãe de santo e ela 'pa... para' [...]. Cara, eu fiz tanta pressão na nuca dela que ela DORMIU". Finaliza aos aplausos e risos da platéia composta, também, por mulheres.

Assim Alexandre Frota descreve uma suposta aventura sexual, supostamente engraçada, com uma mãe de santo que lhe atendia. Uma "aventura" que não contou com qualquer consentimento - muito pelo contrário, houve um pedido para que parasse -, e que dependeu de imobilização física para que ocorresse. As cenas foram ao ar, originalmente, em maio do ano passado, e foram reprisadas na semana passada pela Band, sem que ninguém da emissora percebesse o que foi dito ali. A declaração, aparentemente, passou batida por todo este tempo.

Algumas pessoas talvez não entendam, mas isto não é uma aventura sexual. Isto é um ESTUPRO, com todas as letras, e que talvez só tenha sido contado agora porque o crime já tenha prescrito. Nem a plateia, em êxtase, nem o apresentador, questionaram em qualquer momento sobre a coação imposta antes e durante o ato, e até mesmo o fato de, em momento algum, aquela mulher ter concordado com o ato sexual.

Talvez aquela plateia pensasse que, se ela não gritou e lutou contra ele, é porque ela queria aquilo tudo. E se queria, ele apenas realizou a fantasia sexual de ambos. É isto que o machismo diário, aquele que nos é apresentado ainda na infância e que tenta nos influenciar por toda a vida, nos induz a pensar. Afinal, a culpa é sempre da vítima: ou porque tinha um "bundão", como disse Frota, ou porque não lutou contra aquele estupro. A mesma lógica não vale quando, por exemplo, uma pessoa é assaltada e não reage; neste caso, ela não deu seus pertences voluntariamente ao ladrão, ela foi assaltada.

E, para coroar o show de horrores, um "ô filha da puta, levanta aí", já que, além da agressão física e sexual, ela ainda precisava se levantar e mostrar às amigas de Frota, que estavam do lado de fora, que tudo estava bem. Não, não estava, Frota. Ainda que esta história seja mentira, contada apenas para entreter, ele a contou. Apresentou um estupro como algo banal, o sexo não-consensual como algo plenamente aceitável, fez pouco do povo de santo e dos demais adeptos de religiões de matriz africana e foi apoiado e aplaudido por tudo isto.

E não, não há nada engraçado em um crime tipificado no artigo 213 do Código Penal, com pena de reclusão de seis a dez anos.


Compartilhe:

1 de março de 2015

E as abdominais do Daniel do Floresta?!

Até a Fabiana Pulcineli, de O Popular, achou estranho:


Vereador de Catalão faz abdominais durante reunião na Câmara

Um vídeo divulgado na internet mostra o vereador de Catalão (na Região Sudeste de Goiás) Daniel do Floresta (PMDB) fazendo abdominais sobre uma mesa em sala de reuniões da Câmara, na última terça-feira. Com os pés apoiados na parede, o peemedebista faz exercícios, deitado na mesa, enquanto outros vereadores discutem sobre assunto que não é possível identificar.

A reunião foi solicitada pelo ex-presidente da Câmara junto com todos os colegas, inclusive o atual presidente, antes do início da sessão. Daniel alega que discordava da conversa e decidiu "deixar eles lá brigando e fazer exercícios".

O vereador afirmou que "o assunto era particular do ex-presidente" e não quis revelar do que tratavam. "Eu não tinha nada a ver com aquilo (com o assunto da reunião), tava lá de boa, à toa, vi a mesa ali e brinquei que ia fazer exercício para descontrair um pouquinho, enquanto eles discutiam", conta. "Eu brinco muito. Sou brincalhão mesmo. Sou um cara que não tem maldade. E não estava em plenário. Era só uma sala reservada", afirma, completando que a maioria dos vereadores repudiou a atitude de quem filmou - que ele afirma ser um dos colegas.

Daniel atribui a divulgação do vídeo a denúncias que fez de pagamentos a vereadores em troca de apoio em votações. Segundo ele, as denúncias, com provas, estão no Ministério Público. Ele prestou depoimento recentemente no processo. "Tenho prova de tudo e eles estão desesperados. Aí estão todos contra mim", diz.

O peemedebista foi eleito pela oposição, aliou-se ao prefeito Jardel Sebba (PSDB), mas acabou rompendo com o tucano alegando que "existem problemas em todas as áreas da cidade" e que os compromissos não foram cumpridos.

Questionado se não estava danificando patrimônio público, ele disse que não sujou as paredes: "Quando a gente vai pra Câmara, vai com roupa de ver Deus. É tudo limpinho. A não ser que alguém ainda vá lá pra fazer montagem de uma sujeira e falar que foi eu".

É... cada povo tem os representantes que merece.

Para quem ainda não viu, segue o vídeo:



Compartilhe:

O juiz, o caminhoneiro e os cônjuges


Texto de Cileide Alves, publicado hoje, 1º de março, em O Popular, muito pertinente sobre acontecimentos de repercussão nacional nesta semana:

O juiz, o caminhoneiro e os cônjuges

O que há em comum entre o juiz Flávio Roberto de Souza, o impasse entre os caminhoneiros e o governo federal para pôr fim ao bloqueio das estradas, e a decisão do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), de permitir aos cônjuges dos parlamentares viajarem com passagens aéreas pagas com dinheiro público?

Na quarta-feira, o governo reuniu-se com o presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), Diumar Deléo Cunha Bueno, para negociar um acordo para acabar com os bloqueios das estradas. Estava em Brasília o motorista Ivar Luiz Schmidt, que se apresenta como líder do movimento que parou o Brasil na semana passada.

O governo nem deixou Schmidt entrar na reunião. Negociou com Diumar, apesar de este ter reconhecido que o bloqueio não foi “orquestrado” pelas entidades a ele vinculadas. Ainda assim, governo e federação se acertaram e anunciaram o fim dos bloqueios. No mesmo dia Ivar Schmidt postou em sua página no Facebook: “Meus amigos e amigas quero informar que esse governo sacana chamaram (sic) os sindicatos pelegos que são do PT e ‘fizeram’ uma reunião (...). O movimento continua”.

E continuou, porque o governo foi incapaz de perceber que o sindicalismo não tem a força de outras épocas e desconheceu como nasceu este protesto dos caminhoneiros. Ivar Schmidt contou à imprensa ter montado um grupo no WhatsApp com 100 caminhoneiros espalhados por todo o País e que esse grupo liderou e organizou o bloqueio das estradas.

Os casos do juiz Flávio Roberto de Souza que achou “absolutamente normal” trafegar com a Porsche do empresário Eike Batista e do vale-viagem para os cônjuges de parlamentares são também muito ilustrativos. O juiz Flávio Roberto, punido com seu afastamento do processo, nem pensou duas vezes em andar no carro de luxo, que ele próprio mandou apreender, pois se considera detentor de um poder natural que lhe permite fazer o que quiser. A mesma motivação levou o presidente da Câmara a autorizar o vale-viagem para os cônjuges de seus colegas.

O governo, o juiz e o presidente da Câmara erraram. O governo foi usar a força para acabar com os bloqueios e os dois últimos caíram na boca do povo.

Os três fatos revelam a resistência de castas políticas e sociais de enxergarem que o modo de vida da sociedade deste início de século 21 é de outra ordem. A autoridade natural antes emanada por grupos que exercem algum tipo de poder esfacelou-se em um mundo onde as relações são horizontais.

Na época das relações verticais era inimaginável um juiz virar piada pública. Hoje as piadas não apenas foram feitas como publicadas, porque o ser humano se vê livre das colagens impostas pelo mundo antigo e exige regras iguais. Não há mais os intocáveis.
Vale demais para as autoridades atualmente constituídas no município de Catalão: é preciso respeitar o cidadão! 

Quem debocha do povo recebe de volta o dobro do deboche, acrescido de raiva e desprezo. O "beijamão" há muito tempo saiu de moda.

Compartilhe:

27 de fevereiro de 2015

Professora da UFG publica Nota de Repúdio à Secretaria de Ação Social


Publicada no Facebook:

NOTA DE REPÚDIO - À SECRETARIA MUNICIPAL DE AÇÃO SOCIAL DE CATALÃO

Tem algumas pessoas que dizem estar no Poder (cargo políticos na Prefeitura Municipal de Catalão) que não sabe discernir o que é público do que é privado. Acha que por que alguns cidadãos têm posturas ideológico-partidárias diferentes das do partido que está no dito Poder (temporário - apenas 4 anos) devem ser impedidas de adentraram prédios e órgãos públicos durante a promoção de atividades culturais e, ainda, serem cerceados de compartilhar conquistas pessoais. 

Tem gente na Secretaria de Ação Social de Catalão, como as senhoras Maria Amélia e Ana Sebba, que determinam ordens para que pessoas ligadas a partidos adversários sejam proibidas de entrar no Baile da Terceira Idade, realizado no salão do CRAC. E como foi permitida a entrada e concedido o direito de uma senhora divulgasse um CD gravado (cantando uma música para todos presentes), adivinhem qual foi o resultado!!!! A COORDENADORA DO BAILE FOI DESTITUÍDA DO CARGO. 

Agora eu pergunto a você cidadão consciente, trabalhador e ao povo de catalano: 

1) a Prefeitura e seus órgãos é pública ou é de propriedade um partido político neoliberal e de algumas personas que estão no poder? 
2) O salário que paga os políticos municipais não advém do bolso dos cidadãos catalanos? 
3) Por que uma cidadã catalana que tem outra ideologia político-partidária não pode participar das atividades culturais promovidas pela Prefeitura de Catalão? 
4) Cadê o direito legal e constitucional que todo cidadão independente de religião, ideologia, etnia etc. tem de acesso aos bens públicos? 

Estou indignada e revoltada com o que vem acontecendo com nossa cidade (administração do faz de conta) e com as atitudes arbitrárias de algumas pessoas que ocupam cargos públicos na Prefeitura tomam!!! SE ALGUÉM ACHAR RUIM EU CITAR OS NOMES, ME PROCESSEM!!! Pelo que eu sei a Legislação Brasileira garante o livre arbítrio e o direito de expressão. E eu como cidadã livre, consciente não me calo diante de uma situação absurda dessa!

Profª. Dra. Magda Valéria da Silva



Magda é professora Adjunta na Universidade Federal de Goiás/Regional Catalão - Departamento de Geografia, possui Mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Goiás/Instituto de Estudos Socioambientais (2005) e Doutorado em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia/Instituto de Geografia (2010). Não consta em seu currículo ser viúva.



Compartilhe:

Gustavo Sebba: o deputado-menudo mudo!


Essa vem do blog "Goiás 24 Horas", governista ao extremo, mandando recado para os deputados em primeiro mandato na Assembleia Legislativa de Goiás:

Primeira semana dos deputados “menudos” na Assembleia é um fiasco: nenhum deles sequer abriu a boca


A primeira semana de funcionamento regular da Assembleia Legislativa registrou a completa falta de atuação dos seis deputados mais jovens da Casa, já chamados de “menudos” do Legislativo.
São eles: Lucas Calil, Marquinho Palmerston, Diego Sorgatto, Jean Carlo, Gustavo Sebba e José Antonio – todos com cara de adolescentes e com idades na faixa dos 24 aos 35 anos, totalmente inexperientes em matéria de articulação e de debates parlamentares.
Os seis também integram o bloco dos 15 deputados novatos da base governista, que apresentou um projeto maroto para garantir quase dois meses e meio de férias remuneradas para os 41 integrantes da Assembleia – um gesto que abre perspectivas frustrantes para a atuação desses jovens parlamentares.
Desde a eleição até hoje, incluindo esta primeira semana de sessões normais, nenhum dos seis deputados “menudos” conseguiu se destacar no noticiário político – seja por uma ideia, um projeto, uma posição ou qualquer movimento relacionado com vida política inteligente.

Para bom entendedor...

Compartilhe:

24 de fevereiro de 2015

Catalano é preso em tentativa de fraude em concurso

Para quem não viu, segue a reportagem da TV Anhanguera sobre o catalano pego em flagrante tentando fraudar concurso público para agente de segurança prisional, ocorrido em Goiânia:


A tentativa de fraude terminou na prisão em flagrante de Romes Leandro Alves, de 47 anos, cidadão bem conhecido na cidade de Catalão já tendo sido presidente do Conselho Consultivo das Associações de Bairros de Catalão (CCABC), entidade sem fins lucrativos criada com o propósito de oferecer suporte às associações de moradores e buscar recursos com as esferas governamentais. 

Durante a realização da prova, funcionários da Fundação Universa, de Brasília, responsável pelo certame, flagraram Romes filmando a prova e repassando as imagens para alguém que estava fora do perímetro do local de prova.

Romes foi conduzido pela Polícia Militar ao plantão do 8º Distrito Policial, onde foi autuado em flagrante por tentativa de fraude em concurso público, que prevê pena de 1 a 4 anos, mais multa. Ele já havia sido autuado em flagrante por fraude em vestibular em Goiânia, mas na época não havia o artigo da lei e ele foi autuado por estelionato. Na delegacia, ele recusou-se a dizer para quem fazia a prova.

No total, segundo a organização do concurso, mais de 10 mil candidatos disputaram as 305 vagas para o cargo de agente de segurança prisional, além da formação de um cadastro reserva. O salário é  de R$ 2.847,23.

Pouco mais de 10 mil candidatos fizeram prova ontem à tarde para o cargo de agente de segurança prisional, para suprir a demanda das unidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Uruaçu, Itaberaí, Rio Verde, Palmeiras de Goiás, Caldas Novas, Formosa e Luziânia.

Compartilhe:

20 de fevereiro de 2015

Sucesso do cinema, em exibição em Catalão

Em 3D:



Com a participação especial dos astros: Deboche e Incompetência!!!

Em cartaz, em todos os bairros da cidade, até 31 de dezembro de 2016.

Compartilhe:

19 de fevereiro de 2015

Seria o Chico Pinheiro, do Bom Dia Brasil, uma viúva?

"A burocracia e o descaso com a saúde do brasileiro terminaram com a morte de uma idosa em Goiás. Ela esperou 11 horas para ser transferida. Mas as três ambulâncias do município de Catalão estavam quebradas. Quando o socorro da cidade vizinha chegou, já era tarde demais."
Com essas palavras o jornalista Chico Pinheiro, do Bom Dia Brasil, iniciou a reportagem veiculada hoje pela manhã, 19 de fevereiro, em rede nacional de televisão, sobre a morte da senhora Divina Costa Martins, moradora do bairro Santo Antônio, em Catalão, após uma espera de onze horas por uma ambulância do SAMU. Para quem não viu, segue a reportagem completa (atenção à frase do Chico Pinheiro quando a imagem volta para ele, pouco antes do fim da matéria):


"Falta respeito, falta ambulância e sobram explicações"

Quem mora em Catalão e assistiu a reportagem certamente sentiu vergonha de ver sua cidade exposta de forma tão negativa na principal rede aberta de televisão do país, numa situação lamentável narrada por um dos principais âncoras da TV brasileira. 

E não é a primeira vez que o Chico Pinheiro anuncia no Bom Dia Brasil o descaso na saúde em Catalão. Em 29 de dezembro, para citar em um exemplo recente, o jornal veiculou matéria sobre a greve dos médicos plantonistas no Pronto Socorro da Santa Casa, que já se arrastava por 15 dias.

E vendo como o jornalista se referiu a questão, atribuindo à falta de respeito com o cidadão a principal causa da morte de dona Divina, fico a imaginar se Chico Pinheiro também não seria uma viúva, como Alaor Rodovalho e toda equipe jornalística da TV Anhanguera local, afinal só as viúvas criticam e veem defeito na atual gestão de Catalão, para o resto da população está tudo bem, está tudo funcionando.

Mas se for esse o caso, em breve veremos em rede nacional de televisão o fechamento de creches conveniadas por falta de repasse, a iluminação pública deficitária, a falta de material no Centro Odontológico, os buracos nas ruas, a falta de pagamento de prestadores de serviço e outros problemas, que só as viúvas veem.

Não é mesmo?



Compartilhe: